12 coisas para se aprender com a arte (ou não)

1 – Começar é muito mais importante do que ter uma ideia exata de onde se quer chegar.
2 – Apegar-se demais às próprias ideias é um erro. Cortar quase sempre é mais sábio que adicionar.
3 – Técnica sem intuição é irrelevante; intuição sem técnica é desperdício.
4 – Criar é estar sempre pronto para recomeçar do zero.
5 – A arte não finge. A única maneira de conectar-se com os outros é colocar a sua verdade em tudo o que fizer.
6 – A pressa é inimiga. O que você acha genial, hoje, pode parecer a coisa mais banal do mundo, amanhã.
7 – Às vezes, enxergar o óbvio é impossível de perto. Segundas opiniões e outros pontos de vista são muito bem-vindos.
8 – É clichê, mas é verdade: quase sempre tem só um pouquinho de inspiração para um bocado de transpiração.
9 – Perfeccionismo nunca é demais. Parafraseando o poeta americano John Berryman: se você não for implacável com sua arte, outra pessoa será.
10 – Um projeto ou obra nunca acaba. Você o abandona antes de enlouquecer.
11 – Concordo também com essa outra do John Berryman (levemente desfigurada por mim): você sempre deve tentar criar algo que não seja capaz de fazer, algo para o qual lhe faltem a técnica, a linguagem, a coragem para alcançar. De outra forma, você estará meramente se repetindo, porque isso é sempre mais fácil.
12 – Já dizia o mestre Joseph Campbell: “Não pode haver criatividade a menos que você abandone o delimitado, o fixo, todas as regras”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.