Manual Zen #4

Manual Zen Sobre o Conserto de Motocicletas e Outras Artes

 
Estamos mais interessados em ver como as coisas são do que em saber o que elas significam.
Não percebemos a diferença entre as duas maneiras de encarrar as coisas porque ela parece pequena. Ou então, é imensa! O que é outro modo de passar despercebida.
Tomar as coisas apenas pelo que elas são é a atitude emocional, identificada com a manada que elege o senso comum como juiz. Procurar significados é aventura intelectual, ato individual de vontade.
Os riscos, na primeira opção, é abrir mão da capacidade de descobrir e se autoconhecer. Na outra, acreditar que a ciência já provou tudo que havia para provar sobre nós mesmos e a vida, a tecnologia e a natureza. Não somos mais inteligentes hoje do que eramos no século X. O contexto intelectual é que mudou.
A falta de provas de que algo existe não prova que aquilo não exista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.