Jim & Andy

Não se julga um filme pelo cartaz ou um livro pela capa. À primeira vista, Jim & Andy pode parecer apenas um documentário biográfico sobre o tresloucado ator Jim Carrey. Engano. É muito mais do que isso.
O “Andy” do título se refere a “O Mundo de Andy”, produção de 1999 estrelada por Carrey. O filme retrata a trajetória do controverso humorista Andy Kaufman. Durante sua realização, o ator entrou de cabeça no personagem, encarnando Kaufman de maneira quase sobrenatural. E não saiu do papel até o final das filmagens. Comportando-se 24 horas por dia como o polêmico e provocador comediante, Jim conseguiu enlouquecer toda a equipe durante as gravações. Por outro lado, a excêntrica escolha artística resulta numa atuação impressionante. Não por acaso, Carrey levou o Globo de Ouro de melhor ator de comédia por esse papel. Na época, a Universal chegou a gravar o making of de “O Mundo de Andy”. Mas as coisas ficaram um pouco tensas. No backstage, as atitudes de Jim tornaram-se tão bizarras que o estúdio desistiu do projeto, temendo uma publicidade negativa.
Quase vinte anos depois, o diretor Chris Smith resgata as imagens do famigerado making of, nesse surpreendente documentário. Alternando depoimentos atuais de Carrey com fatos biográficos e cenas dos bastidores de “O Mundo de Andy”, Smith consegue compor um mosaico que reflete o artista em toda a sua complexidade.
Desde que emigrou do Canadá para os EUA com a família, nem tudo foram tapetes vermelhos no caminho de Jim. A história dos Carrey, aliás, já daria uma boa trama de provação. Nos seus piores momentos, chegaram até mesmo a morar em uma van. O fracasso profissional do pai – que trocara a vocação musical por um emprego considerado mais seguro – abalou profundamente o jovem Jim. A dor paterna fez o filho chegar a uma inevitável conclusão: você também pode falhar fazendo aquilo que não ama. Jim aprendeu a lição. Incansável, e munido de um arsenal de caretas, um corpo elástico e todo tipo de bizarrice, conquistou seu lugar ao sol hollywoodiano. Falecido em 1994, o Sr. Percy Carrey ainda viveu bastante para ver o herdeiro tornar-se um astro de primeira grandeza com o filme “O Máscara”.
O ator que aparece falando no documentário é um homem maduro, que aparenta não precisar mais provar nada para si mesmo ou para os outros. Fez fama e fortuna numa carreira que vai de comédias infames como “Debi e Lóide”, até filmes densos como “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”. Seu rosto traz as marcas da jornada e sua voz não esconde um certo desencanto. O Jim Carrey de hoje passa uma honestidade comovente. Numa época de felicidade fabricada em redes sociais, é quase didático ver uma estrela desse porte se mostrar sem filtros.
Disponível na NETFLIX, Jim & Andy emociona. Faz rir e faz pensar. Um documentário feito com maestria e rara sensibilidade. Fez-me lembrar um trecho de “Tempo e Artista”, de Chico Buarque: “Modelando o artista ao seu feitio / O tempo, com seu lápis impreciso / Põe-lhe rugas ao redor da boca / Como contrapesos de um sorriso”.
F.S.

One Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.