Extraviada 9

Minha adorada M., Você não está sozinha em sua aflição. A desorientação é o que de mais democrático existe na atualidade. E as novas gerações estão ainda mais fodidas do que nós. O conceito de juventude que conhecemos, aliás, está em franca extinção. A quarta revolução industrial é um fantasma que inviabiliza a liberdade, embora […]

Continue lendo...

Mais Histórias Soltas

NO PASA NADA Quando cheguei em Madrid, em setembro de 1988, meu irmão Mário Ivo morava lá e estava voltando para Natal. Ainda passamos 15 dias juntos andando pela cidade. Ele me apresentou Madrid, e certa vez ele me levou para um café emblemático da cidade na época: o “Viva Madrid”. Estávamos bebendo e conversando […]

Continue lendo...

Deus me Louvre

Cresci vendo os impressionistas e pós-impressionistas na sala de jantar. Minha mãe tinha réplicas de quadros que para mim se tornaram emblemáticos como “O Cavalo Branco” (Paul Gauguin, 1898), que é todo verde por causa das folhagens. A luz que incide sobre ele foi filtrada através das folhas verdes da grande árvore presente no quadro. […]

Continue lendo...

Cinema, História e Rivotril

Nos anos 60, o antropólogo, sociólogo e filósofo Edgar Morin uniu-se ao etnólogo Jean Rouch para produzir o documentário “Crônica de um verão”. A obra viria a ser o filme seminal daquilo que se convencionou chamar de Cinema Verdade. Essa abordagem não esconde a intervenção do realizador no mundo que deseja registrar. O cineasta mostra […]

Continue lendo...

Extraviada 8

Querido G., Acabo de retornar ao nosso país. Cheguei há uma semana e já tenho vontade de ir embora há uns dez anos. Achei tudo muito estranho. Devo ter me perdido na estrada de volta. Ontem, tentei assistir ao show de um artista tão antigo quanto eu. Tinha uma vaga esperança de descobrir, na trilha […]

Continue lendo...

Era o que eu tremia

Sempre fui apaixonado pelas palavras. Assim como o poeta Manoel de Barros, eu primeiro me apaixono pela palavra e depois vou procurar um sentido para ela. Primeiro a palavra sentida, depois seu sentido. E foi assim com a apalavra ausência. Quando criança, eu criava histórias em quadrinhos. Minha preferida era “Perna de Fogo” – um […]

Continue lendo...

O Diabo é quem duvida!

Fechou o livro, orgulhoso por ter chegado ao fim. É verdade que pulou algumas páginas, talvez até alguns capítulos. Detalhes irrelevantes. Não ficou impressionado com a obra: um lixo. Li-xo! Realismo Mágico? Bobagem. Fantástico mesmo é tanta gente idolatrar porcarias desse tipo. Real é real, fantasia é fantasia, azul é azul e rosa é rosa. […]

Continue lendo...

Duas Histórias da Cena Rock Potiguar dos Anos 80

NAS QUEBRADAS DO ROCK, LITERALMENTE! Nos anos 80, em Natal, o poeta e agitador cultural Carlos Gurgel organizou uma noite de rock na antiga danceteria do clube do América. Gurgel sempre antenado e antropofágico convidou bandas de diferentes tribos. Mas de antropofágico o evento virou antropotrágico. Na época os punks e metaleiros eram inimigos. Pois […]

Continue lendo...