Ostinato

Em italiano, ostinato significa obstinado, teimoso. No jargão musical, consiste na repetição sucessiva de uma figura rítmica ou melódica. Há um tempo atrás, escrevi umas linhas pensando em música. A letra descreve a agonia de um pensamento intrusivo. E a ideia era unir forma e conteúdo, explorando a repetição tanto no conceito como no arranjo musical. Acho que, em algum nível, todo mundo já teve problemas em se livrar de um pensamento, uma musiquinha chata, um hábito qualquer.

Bom, a música nunca foi feita. Mas o texto acabou servindo para provocar meu amigo e parceiro, Carito Cavalcanti. Copiei e colei numa mensagem de whatsapp. Enviei e esperei. A provocação deu certo. Quase que imediatamente, estávamos cogitando mil possibilidades. Isso foi suficiente para desencadear todo um processo. Criação e obsessão andam bem juntinhas, afinal.

Concordamos que aquelas palavras tinham potencial imagético. O conceito original foi ampliado e virou uma coisa muito maior. Depois de muitas discussões e devaneios, surgiu mais um projeto de filme. Desses que são difíceis de enquadrar em uma categoria. Isso é bem a nossa cara. A ideia amadureceu e o roteiro já está pronto. Trazê-la para o mundo real é um pouco mais difícil. Se vai virar filme mesmo ou repetir o ciclo de tantos outros projetos nunca saídos do papel, aí já é outra conversa…

 

Ostinato

 

Uma ideia redundante

Refazendo o mesmo ciclo

Arraigada, renitente

Como o padrão de um vício

Vai e volta e permanece

Com o rigor de um ofício

 

Ob-ob-obstruindo

Ab-ab-absorvendo

Ob-ob-observando

Sub-sub-subjugando

 

Pensamento obsessivo

Recorrente, repetido

Como imagem entre espelhos

Rebatida ao infinito

Dejà vu de um reflexo

Se autorreproduzindo

 

Sob-sob-sobrepujando

Ad-ad-adstringindo

Ob-ob-obstruindo

Ab-ab-absurdo

Posted in Água de Chocalho.

2 Comments

  1. Agora, como numa espécie de metalinguagem do TOC, realizar o filme se torna uma nova obsessão, se repetindo como uma cantiga-caninga infinita nas nossas mentes e corações. Em uma entrevista, Leonard Cohen disse sobre um livro que ele escreveu durante um verão na ilhas gregas: “aquilo não foi um livro, foi uma insolação”. Então penso que isso vai ser mais que um curta, talvez um exorcismo! Vamos que vamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *