O Baú de Pitolomeu

Pitolomeu insistiu muito tempo em ser criança. Seus familiares sempre lhe deram uma dura: – Está na hora de crescer. Você não é mais uma criança! Pitolomeu também teve uma longa adolescência. E ouviu a mesma ladainha: – Está na hora de crescer. Você não é mais um adolescente! Um dia Pitolomeu sonhou com todos […]

Continue lendo...

Vestindo a Camisa

No início dos anos 80 quando eu fazia faculdade de arquitetura eu tinha uma camisa que eu quase não tirava do corpo magro. Tenho saudade da leveza do corpo, mas a leveza da mente eu sempre procurei carregar comigo e ela continua por aqui, por aí. Era muito legal ser viajandão, ter a cabeça aberta […]

Continue lendo...

O tempo não tem compaixão?

No tempo em que você me dizia te amo, todos os meus livros saíram da estante e as músicas, ávidas, viraram playlists em cds apaixonados. No tempo em que você me dizia te amo havia cds. Mas não acho que o spotify tenha alguma culpa nisso. No tempo em que você me diza te amo […]

Continue lendo...

Mais Histórias Soltas

NO PASA NADA Quando cheguei em Madrid, em setembro de 1988, meu irmão Mário Ivo morava lá e estava voltando para Natal. Ainda passamos 15 dias juntos andando pela cidade. Ele me apresentou Madrid, e certa vez ele me levou para um café emblemático da cidade na época: o “Viva Madrid”. Estávamos bebendo e conversando […]

Continue lendo...

Deus me Louvre

Cresci vendo os impressionistas e pós-impressionistas na sala de jantar. Minha mãe tinha réplicas de quadros que para mim se tornaram emblemáticos como “O Cavalo Branco” (Paul Gauguin, 1898), que é todo verde por causa das folhagens. A luz que incide sobre ele foi filtrada através das folhas verdes da grande árvore presente no quadro. […]

Continue lendo...

Era o que eu tremia

Sempre fui apaixonado pelas palavras. Assim como o poeta Manoel de Barros, eu primeiro me apaixono pela palavra e depois vou procurar um sentido para ela. Primeiro a palavra sentida, depois seu sentido. E foi assim com a apalavra ausência. Quando criança, eu criava histórias em quadrinhos. Minha preferida era “Perna de Fogo” – um […]

Continue lendo...

Duas Histórias da Cena Rock Potiguar dos Anos 80

NAS QUEBRADAS DO ROCK, LITERALMENTE! Nos anos 80, em Natal, o poeta e agitador cultural Carlos Gurgel organizou uma noite de rock na antiga danceteria do clube do América. Gurgel sempre antenado e antropofágico convidou bandas de diferentes tribos. Mas de antropofágico o evento virou antropotrágico. Na época os punks e metaleiros eram inimigos. Pois […]

Continue lendo...

Viajandão

O mundo é um verdadeiro labirinto Pra Minotauro nenhum botar defeito Não quero me vangloriar pelos meus feitos Mas preciso expressar o que eu sinto É uma dor bem dentro do meu eu Dói no peito e o jeito é viajar Seja no Largo do Atheneu Ou no Estreito de Gibraltar Quando penso por onde […]

Continue lendo...

Papo Cabeça

– Conheci uma menina que me fez perder a cabeça. – Eu notei. Bem que a minha mãe me disse que você só tem pescoço! – Pois é. Mas eu sou carne de pescoço. Não vou desistir dela não. – Da cabeça ou da menina? – Ah! Sei lá! Tô sem cabeça pra conversar… – […]

Continue lendo...